Criação de Sites Profissionais em Portugal.
Email info@fredericolopes.com Ligue Agora! +351-937-712-822

10 erros em WordPress que deve evitar

Home > Blog > SEO > 10 erros em WordPress que deve evitar

O WordPress é uma ferramenta super poderosa e com uma variedade de opções disponíveis. Contudo, tantas opções podem também ser a razão de alguns erros, neste artigo vamos nos debruçar sobre os 10 erros em WordPress mais comuns e que deve evitar a todo o custo:

10 erros em WordPress que deve evitar

O WordPress é uma ferramenta incrivelmente poderosa e flexível. Mas, como qualquer ferramenta, a sua ampla variedade de opções significa que é se torna muito fácil de se cometer alguns erros.

Devo lembrar que todos estes erros afetam negativamente o seu site, inclusive alguns deles podem ser absolutamente devastadores. É por isso que é tão importante saber quais são para que possa evitá-los.

Neste artigo, vai encontrar 10 erros comuns em WordPress e aprender como evitá-los.

1. Usar temas mal codificados

Este é o primeiro e mais importante ponto a ser observado, pois são a base para os seus esforços de SEO e, honestamente, tenho a lamentar que a maioria dos temas são bastante maus nesse sentido.

Caso tenha um tema personalizado, comprado de um fornecedor de temas ou descarregado gratuitamente do repositório do WordPress, existem alguns detalhes críticos que são necessários avaliar para garantir que não colocará o seu site em desvantagem, nomeadamente:

Validação HTML

Isto é fundamental porque o HTML inválido pode causar problemas de visualização, que afetam tanto os utilizadores como os motores de pesquisa.

Quando isto acontece, saiba que pode perder visitantes porque o seu site não é exibido e/ou não funciona corretamente para os utilizadores, assim como pode ser penalizado na classificação porque os motores de pesquisa não conseguem visualizar a sua página corretamente nem entender o seu conteúdo.

Existe uma ferramenta simples e gratuita para verificar a validação de HTML por meio do Serviço de Validação de Marcação do W3C, contudo aqui eu tenha algo a dizer:

embora eu ache que o HTML válido é importante, não sou um purista de validação de HTML.

O que quero dizer com isto é que existem casos em que alguns erros podem não valer a pena corrigir do ponto de vista do ROI (Retorno sobre Investimento).

Também é importante observar que pode não ser possível corrigir alguns erros porque podem ser originados de algo do qual não temos a capacidade de editar, tal como a funcionalidade principal de alguns temas ou plugins.

Nestes casos, caso se depare com erros graves que estão a causar problemas de visualização, pode fazer mais sentido começar de novo e reconstruir do zero.

Solicitações HTTP

A maior parte do temas carregam um número absurdo de scripts, imagens, fontes e outros tipos de arquivos, o que faz com que as suas páginas carreguem mais lentamente.

A pior parte é que muitos dos temas carregam estes arquivos desnecessariamente. Em vez de carregar os arquivos apenas nas páginas em que são usados, muitos temas simplesmente carregam-os em todas as páginas, o que resulta numa velocidade de carregamento significativamente mais lenta.

A velocidade da página é fundamental, tanto para os usuários quanto para o SEO.

Não há um número específico para apontar, mas menos é sempre melhor do ponto de vista do desempenho – especialmente se o seu site carregar lentamente.

Tamanho excessivo do DOM

Isto pode parecer incrivelmente técnico, mas na verdade é bastante simples. Significa apenas que precisamos garantir que o HTML do nosso site WordPress seja o mais eficiente possível.

Embora isto possa parecer algo trivial, um código HTML eficiente pode desempenhar um papel importante no desempenho de um site, porque cada elemento tem um impacto no uso de memória, cálculos de estilo e refluxos de layout.

Muitos temas usam elementos HTML excessivos, geralmente aninhados em vários níveis de profundidade, e isto destrói rapidamente  e por completo o desempenho.

Vemos isto com construtores de páginas, mas também vemos isto a nível do tema porque a maioria dos desenvolvedores concentram-se apenas na aparência visual dando muito pouca atenção à eficiência do seu código.

2. Usar Construtores de Páginas

Algumas pessoas podem até discordar, mas eu acredito que usar construtores de páginas é um grande erro.

Eu entendo os argumentos – facilitam as pessoas para adicionarem e editarem o seu conteúdo. O problema é que também criam código excessivo, adicionam chamadas HTTP desnecessárias e, muitas vezes, introduzem erros de HTML que não se conseguem corrigir.

3. Instalar Demasiados Plugins

Uma das coisas que torna o WordPress tão poderoso é a simplicidade de adicionar funcionalidades simplesmente instalar um ou mais plugins. Longe estão os dias de ter que contratar um desenvolvedor e gastar milhares ou dezenas de milhares de euros apenas para adicionar um novo recurso básico.

Contudo, isto também pode criar problemas significativos.

O primeiro problema é que há uma ampla gama de qualidade de desenvolvimento nesses plugins. Tal como acontece com os temas, muitos plugins são mal codificados, o que diminui a velocidade de carregamento e introduz erros de HTML no seu site.

Muitas vezes, esses plugins também carregam vários scripts, arquivos CSS, imagens e fontes, o que degrada ainda mais a velocidade e cria uma experiência desagradável para o utilizador.

Outro problema é que, por ser tão fácil, muitas pessoas cometem o erro de adicionar muitos plugins.

Isso faz com que os seus sites carreguem mais lentamente, não importa o quão bem cada um possa ser codificado, porque ainda requer poder de processamento para executar a funcionalidade que eles fornecem e incluir quaisquer arquivos externos que carregam.

4. Não otimizar imagens

Hoje em dia, Todos carregamos uma câmera incrivelmente poderosa no bolso, o que nos fornece a capacidade de adicionar facilmente novas fotos ao nosso site WordPress, mas que também leva a um outro erro muito comum e significativo.

Quando tira uma foto com o seu dispositivo iPhone ou Android, a imagem geralmente é significativamente maior do que o necessário para usar no site.

Essas imagens grandes e de alta resolução são ótimas para impressão, sem perder a qualidade da imagem. Mas, se carregados diretamente na sua biblioteca de multimédia do WordPress, geralmente serão armazenados como imagens não otimizadas e em tamanho real.

Alguns temas redimensionam automaticamente os uploads com base num conjunto de  dimensões que ajudam a eliminar esse problema. Muitos no entanto, não.

Se tem um site em WordPress a funcionar e está a começar a resolver esse problema, a boa notícia é que não precisa reenviar tudo para a sua biblioteca de multimédia porque felizmente existem uma variedade de plugins que redimensionam automaticamente a imagens.

Quero salientar que é absolutamente fundamental fazer um backup do seu site antes de executar tarefas como esta, porque caso seja excluído ou substituído algo que não pretendia, será necessário arranjar uma maneira de desfazer a operação.

5. Omitir o Sitemap XML

Embora todos possam se beneficiar de um mapa do site em XML,  o mesmo é especialmente importante em sites de grandes tamanhos, pois ajuda os motores de pesquisa a encontrar e rastrear todas as suas páginas.

Surpreendentemente, este recurso tão importante ainda não é nativo do WordPress, então terá que confiar num plugin para o efeito.

Veja aqui a minha lista de plugins WordPress preferidos

6. Ignorar atualizações

Dado que no que faço para viver, consigo ver o back-end de um grande número de sites e sempre fico surpreso com o quão desatualizado algumas pessoas estão dispostas a deixar os seus plugins e temas e até mesmo o núcleo do WordPress ficar.

Saiba que este erro comum pode ter consequências devastadoras, as atualizações corrigem não apenas problemas de desempenho, design e usabilidade, mas também falhas de segurança que podem dar aos hackers a capacidade de aceder ao seu site.

Depois de entrarem, podem fazer todos os tipos de coisas maliciosas, desde o óbvio – como excluir ou desfigurar um site, até o subtil – como interceptar informações de cartão de crédito ou adicionar links externos.

Se sabe que é o tipo de pessoa que não tem tempo para atualizar regularmente o seu WordPress, recomendo então que ative as atualizações automáticas do sistema.

7. Negligenciar a Segurança

Sei que já falei sobre as implicações de segurança de não manter os seus plugins, temas e núcleo do WordPress atualizados, mas manter o seu site seguro vai muito mais além do que isso.

É importante sublinhar que não há como tornar um site completamente seguro. Mas, ao tomar medidas para fortalecer a sua segurança, impedirá a maioria dos hackers, com a rara exceção daqueles que o visam especificamente.

Isso ocorre porque o hacking é em grande parte um jogo de números em que os hackers analisam milhares ou até milhões de sites em busca de vulnerabilidades que possam ser facilmente exploradas.

Não use um nome de usuário padrão

Por padrão, o primeiro nome de utilizador numa instalação de WordPress encontra-se pré-configurado como “admin”, e deve ser alterado impreterivelmente porque é o nome de utilizador que os hackers tentarão primeiro.

Se estiver a configurar um novo site, isso é simples – basta alterá-lo durante o processo de instalação.

Se já possui um site, não há como alterar os nomes de usuário na área de administração, no entanto, pode fazer login no phpMyAdmin da sua conta de alojamento web e modificar na base de dados do WordPress diretamente.

Deve também alterar o nome em exibição do seu perfil de utilizador para não divulgar o seu nome de usuário a cada publicação de artigo.

Ativar TFA (autenticação de dois fatores)

A autenticação de dois fatores é uma ferramenta poderosa para proteger o seu site, pois envia um código para o seu dispositivo móvel que deve inserir antes de fazer login. Isso significa que, sem acesso físico ao seu dispositivo, outra pessoa não poderá aceder á sua área de administrador.

Isto requer um plugin e existem vários gratuitos ou pagos disponíveis para criar essa funcionalidade.

Limitar tentativas de login

Esta é mais uma maneira simples de fortalecer a segurança do seu site WordPress, bloquear tentativas de login de um determinado IP após um certo número de tentativas falhadas.

Isto também requer uso de um plugin, e existem vários gratuitos e pagos disponíveis para criar essa funcionalidade também.

8. Não implementar backups

Todos os sites necessitam de backups automatizados. Esta é uma parte essencial de ter um site.

Além de permitir reverter facilmente alterações, também pode ajudá-lo a recuperar rapidamente de um hack restaurando uma versão mais antiga do seu site.

O agendamento de backups dependerá até certo ponto da frequência com que modifica o seu site, mas, no mínimo, deve ser executado semanalmente. Eu gosto de manter vários meses de backups caso ocorra um hack e passe despercebido por algum tempo – isso permite voltar o suficiente para encontrar um backup limpo para restaurar.

Embora estes backups possam ficar no seu servidor da Web para acelerar o processo de restauro, idealmente, também deve ser copiado para uma nuvem para que tenha sempre uma cópia limpa.

9. Omitir Marcação Schema

Em SEO, precisamos de todas as vantagens que pudermos encontrar e, embora o Schema possa não afectar directamente a classificação, pode ter um impacto positivo nas taxas de cliques devido a sugestões visuais adicionais.

Isto significa que o seu site pode ganhar cliques que, de outra forma, teriam ido para outros sites de classificação mais alta, simplesmente porque o seu site chamou mais atenção nos resultados de pesquisa.

A Marcação Schema é basicamente uma maneira de comunicar aos motores de pesquisa sobre o seu conteúdo e como as entidades do seu conteúdo se relacionam.

Deverá implementar a Marcação Schema como JSON, que é um tipo de JavaScript, em vez de micro-dados, que é marcação HTML.

Existem vários plugins disponíveis, gratuitos e pagos, para ajudar neste aspecto, mas eu pessoalmente prefiro escrever o JSON e inseri-lo no código porque isso dá-me maior controle e sem precisar adicionar outro plugin.

10. Não Configurar Corretamente as Ligações Permanentes

As Ligações Permanentes (permalinks) por padrão que o WordPress utiliza na sua instalação não são de todo as ideais do ponto de vista da pesquisa, vamos então querer alterá-los.

Esta é uma correção relativamente fácil e essencial porque uma estrutura de URL adequada ajuda os motores de pesquisa a entender melhor a hierarquia do seu site.

Deverá alterar essa configuração de qualquer que seja atualmente para a seguinte:

Estrutura optimizada de ligações permanentes
Estrutura optimizada de ligações permanentes

Criptomoedas

Transacione mais de 750 pares de criptomoedas, entre as quais Bitcoin.

e-goi

Email Marketing e Marketing Automation para todos! e-goi.com

Moloni.pt

Fature onde e quando quiser.

Sobre o autor

Frederico Lopes é um Profissional Certificado pela Google na Criação de Sites, Especialista SEO e Formador de E-Commerce na FLAG. Foi eleito recentemente, pelo JORNAL PÚBLICO como uma das pessoas mais relevantes em 2019, na área da Formação de Marketing Digital em Portugal.

Deixe o seu Comentário

 

Frederico Lopes

Frederico Lopes é um Profissional Certificado pela Google, Especialista SEO e Formador de E-Commerce na FLAG. Eleito recentemente, pelo JORNAL PÚBLICO como uma das pessoas mais relevantes, na área da Formação de Marketing Digital em Portugal.

Aumentar as Vendas?

Eu vou ajudar o seu negócio a crescer .

    Eu concordo com o armazenamento dos meus dados de acordo com as Políticas de Privacidade

    Certificado Google
    fechar

    Copie e cole este código para exibir a imagem no seu site